JOYLAND: MINHA PRIMEIRA EXPERIÊNCIA COM Stephen King

sexta-feira, 9 de março de 2018




" Só posso dizer o que você já sabe: alguns dias são preciosos. Não muitos, mas  acho que em quase toda a vida há alguns. Aquele foi um do meus, e quando estou triste, quando a vida me dá uma rasteira e tudo parece ruim e sem graça, como a Joyland Avenue em um dia chuvoso, eu volto a ele, ao menos para lembrar a mim mesmo que vida nem sempre arranca nosso couro, Às vezes, ela oferece prêmios. Às vezes, são preciosos."

- Joyland


Sobre o Livro:

CAROLINA DO NORTE, 1973.
O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença grave. 
O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.



Minhas Impressões:

Não poderia deixar de dedicar um post à minha primeira experiência com Stephen King, autor consagrado e considerado o rei do terror, e que na minha opinião merece todos os títulos que carrega.

Joyland com certeza é um livro diferente do autor, mas mesmo assim, acredito que foi o  melhor começo, porque agora quero devorar toda as suas histórias, inclusive as mais assustadoras que Joyland, que na verdade tem apenas poucos vestígios de uma história de terror  e de causar algum tipo de medo.

Como vemos na sinopse, vamos acompanhar a jornada de Dev em seu tempo no parque de diversões Joyland, e é talvez ai que eu tenha dedicado todo meu amor ao livro. Dev é um personagem incrível. Acho que a capacidade de construir um personagem com muitas camadas e cheios de verdade, seja uma das características do autor e que foi realmente muito importante para a minha conexão com a história. Dev é muito bem trabalhado na história, sendo muito fácil se apegar a ele, porque além dessas muitas camadas, ele é um personagem muito legal e divertido.

Ainda na esfera dos personagens, os amigos de Dev também são incríveis, tanto os que aparecem de forma constante no começo do livro, como os que aparecem do meio para o final. Senti que mesmo que Dev fosse o personagem principal, King construiu todos os outros de maneira tão verdadeira, que parecia que eu conhecia muito bem todos eles.

Joyland, o parque de  diversões, proporcionou um cenário muito empolgante para o livro, tanto para o lado da diversão, como para o suspense. Ah, o suspense. Lembro de uma pequena cena do livro, em que estava acontecendo uma certa tensão, que eu realmente senti medo de ler, parece brincadeira, mas tive que fechar o Kindle e fazer outras coisas, tamanha a tensão que fiquei ao ler a cena, o que mostra a destreza do autor em  construir uma cena verdadeira que de fato afeta o leitor.

Como eu disse no começo, e até por algumas sinopses de outros livros do autor, Joyland não é um livro de terror, ele vai mais para o lado do suspense e em diversos momentos um pouco emocional. Principalmente com o final, que final minha gente! Fiquei muito, muito triste com o desfecho e muito surpresa com o autor, por saber construir cenas de extrema tensão e medo, e também cenas delicadas  e tristes, vou confessar que fiquei bem impressionada e pagando pau para o autor.

A revelação principal do livro é bem surpreendente, mas como o meu envolvimento maior realmente foi com os personagens, eu não me empolguei tanto assim, mas isso não tira o valor do suspense e da surpresa em descobrir o que realmente está acontecendo nessa história. 

Joyland então, foi uma leitura muito especial, inclusive, a favorita de Fevereiro, que realmente deu um start para que eu conheça as outras obra do Stephen King, que com certeza ainda esse ano quero conhecer. Se você quer um suspense muito bem escrito, com personagens incríveis e até um pouco de drama, esse é o livro!



Nenhum comentário

Postar um comentário