Projeto de Releitura: AS CRÔNICAS DE NÁRNIA

quinta-feira, 22 de março de 2018



Há algum tempo tenho nutrido a vontade de reler algumas histórias que me marcaram e que são minhas favoritas, ainda assim eu sempre pensava que eu poderia estar conhecendo novas histórias ao invés de reler livros. Mesmo assim, decidi começar por algum lugar e nada melhor do que por uma história que já li a quase 5 anos e sinto falta.

A minha edição contém as 7 crônicas e a programação é de uma crônica por mês, porque assim não sobrecarrega ninguém e ainda podemos continuar a ler outras histórias.

Convido você a reler comigo, ou se nunca leu, embargar nessa aventura! A cada mês, vou trazer resenha de cada uma das crônicas, tenho certeza que vai ser incrível.


PROGRAMAÇÃO


ABRILO Sobrinho do Mago

MAIO- O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa

JUNHO- O Cavalo e seu Menino

JULHO- Príncipe Caspian

AGOSTO- A Viagem do Peregrino da Alvorada

SETEMBRO- A Cadeira de Prata

OUTUBRO- A Última Batalha


Esse vai ser o cronograma e espero que vocês participem também! :D

A vida a dois em NÓS de David Nicholls

quarta-feira, 21 de março de 2018


" É claro que, após quase um quarto de século, todas as perguntas sobre nossos passados já foram feitas e ficamos com " como foi seu dia?", "quando você volta para casa?, e "jogou o lixo fora?". Nossas biografias nos envolvem tão intrinsecamente agora que ambos estamos em quase todas as páginas. Sabemos as respostas porque estávamos lá, de modo que é difícil manter a curiosidade; substituída, suponho, pela nostalgia."

Página 66


Nós é mais uma obra incrível de David Nicholls, mesmo autor de Um Dia, que é um dos meus livros favoritos, e na verdade por mais que os dois sejam diferentes entre si por diversos motivos, ambos assemelham-se no tema: a vida.

Em Um Dia, acompanhamos 20 anos dos personagens principais, suas idas e vidas, seus anseios, medos e as mudanças que ocorrem ano após ano e que ninguém tem controle. Em Nós, acompanhamos um casal casados a quase 25 anos, e que após todo esse tempo começam a enfrentar problemas que podem influenciar toda uma vida. Connie, a esposa, deseja de "redescobrir" e pede o divórcio, Douglas, o esposo, acredita desesperadamente em seu casamento e promove uma viagem de família para tentar fazer com que Connie se apaixone novamente.

A escrita do autor é extremamente rica e o livro é muito bem construído, de forma que os personagens e suas histórias nos são apresentados de forma muito real. Além da viagem, entre os capítulos, vamos conhecendo a história dos personagens, desde quando se conheceram até todas as fases que enfrentaram juntos, e isso traz uma autenticidade a história e durante a leitura realmente acreditamos na história deles.

O autor consegue construir situações e sensações que rapidamente nos identificamos, o que torna inevitável torcer por um final feliz para os personagens. Quando terminamos de ler, pela ótima construção do autor, parece que acompanhamos anos dos personagens de não somente 400 páginas, e isso traz ao livro originalidade e veracidade.


" Em uma luta, você se alia às pessoas que ama. É assim que as coisas são."

Página 171

O livro é uma busca de uma pessoa por uma segunda chance, é a luta de um homem por aquilo que acredita, mas ao mesmo tempo é sobre duas pessoas que descobrem que a vida, após um longo tempo, ainda pode ser incrível, ainda pode ser surpreendente e que basta olhar para ela prontos para enfrentá-la com a cabeça erguida.

Assim como em Um Dia, o autor utiliza a realidade brutal e singela da vida, nada nos seus livros são clichês e quando terminamos a leitura, por mais que fiquemos com o coração na mão, entendemos que é assim que a vida funciona, nem sempre as coisas são fáceis e diversas vezes a realidade cruel.

Nós me tocou e me vez amar mais um livro do autor, me fez ver que devemos lutar sim por segundas chances, me fez enxergar que todo temos uma história, e que devemos dia após dia aproveitar o tempo com as pessoas que amamos. Recomendo muito a leitura, porque embargar na história de uma vida de um casal, me fez perceber minha própria história. 





CRÔNICA: TUDO BEM VOCÊ NÃO ESTAR BEM

terça-feira, 20 de março de 2018



Eu não estou bem. Não tenha medo de dizer isso em voz alta. Não tenha medo da vulnerabilidade dessas palavras, porque elas não te fazem fraco, pelo contrário, te tornam uma pessoa forte, capaz de admitir que a vida nem sempre sorri para você, e que há dias em que tudo desmorona.

Eu não estou bem. É libertador não esconder nossa dor, aceite e renda-se ao processo. Abrace sua dor. O mundo pede para sorrirmos a todo instante e sermos positivos a cada amanhecer, e isso é uma boa maneira de levar a vida, precisamos ser assim, mas nem sempre vai ser assim. 

Eu não estou bem. Você não precisa fingir algo que não é, fingir um bem estar, há tanta vida ao nosso redor para nos preocuparmos com a  opinião dos outros. "Tenho que ser  forte." " O que vão pensar de mim?". Pense nisso, realmente importa? Porque se não pararmos de ouvir, guardaremos tudo dentro da gente, não carregue sua dor como se fosse um segredo, carregue-a como se fosse um troféu. Não esconda sua dor. As feridas, as batalhas e os arranhões são as  provas de que vivemos a vida, de que caímos, levantamos e continuamos em frente. 

Eu não estou bem. Ouvimos  diariamente a pergunta " tudo bem?", e quase cem por centro das pessoas não são verdadeiras em suas respostas. Lembro-me de dias em que tudo o que eu queria gritar era " NÃO, EU NÃO ESTOU BEM, TUDO ESTÁ UMA DROGA!", mas como uma pessoa educada e ensinada pela sociedade a não mostrar minha vulnerabilidade, eu respondi: " ESTOU BEM."  

Eu não estou bem. Queremos, muitas vezes, ficar sozinhos no lugar escuro. Chorar no travesseiro e fazer o possível para ninguém notar. Escondemos nossa dor. Não esconda. Há tantas pessoas que precisam ver nossa coragem. Diferente do que achamos, muitas pessoas não estão bem. 

Eu não estou bem. "As coisas não estão do jeito que sonhei." "Meu coração dói." "As feridas estão abertas." Eu não sei qual é a sua dor. Não sei as palavras que se encaixariam em sua vida, só peço, que se você não está bem, não esconda. Tudo bem você não estar bem. 

Eu não estou bem. Mas vou ficar. Você também. Todos vamos. 

NETFLIX BOOK TAG

segunda-feira, 19 de março de 2018




Oi gente tudo bem com vocês? Hoje é dia de responder algumas perguntinhas relacionando duas coisas maravilhosas: NETFLIX E LIVROS. Vi essa essa Tag no canal da Tamirez do blog Resenhando Sonhos, espero que gostem!


1- RECENTEMENTE ASSISTIDOS: o último livro que você terminou de ler.


O último livro que terminei de ler foi O Livro do Amanhã da Cecelia Ahern, inclusive foi uma leitura bem mediana.


2- PRINCIPAIS ESCOLHAS PARA VOCÊ: um livro recomendado a você baseado em suas leituras anteriores.


Pelo meu recente interesse por fantasia e livros históricos, acho que vou curtir muito a leitura de Outlander, e na verdade estou ansiosa, os livro são calhamaços!!! 


3- ADICIONADOS RECENTEMENTE: o último livro que você comprou.

Minha última compra foi de Por Lugares Incríveis, que inclusive provavelmente será uma leitura de Abril.


4- EM ALTA: livros que todo mundo conhece (2 que você leu e 2 que você quer ou não ler).

Essa é fácil! Que todo mundo leu e eu também: A Culpa é das Estrelas e Como eu era antes de você
Dois que ainda quero ler: O ódio que você semeia e O Ceifador


5- COMÉDIAS: um livro engraçado.

Sem dúvidas, Fiquei com seu Número da Sophie Kinsella, quando li, não me aguentava das várias risadas que dei com o livro, principalmente pela protagonista.


6- DRAMAS: um personagem que seja muito dramático.

Vou falar a Clare de Os Instrumentos Mortais, ainda não li a série toda, mas nos três primeiros livros ela sempre demonstrou um drama desnecessário, tanto que nem consegui me apegar a ela.


7- ANIMAÇÕES: um livro com desenhos na capa.

Provavelmente uma das minhas próximas leituras: O Assassinato no Expresso  do Oriente da Agatha Christie.


8- ASSISTIR NOVAMENTE: um livro que você quer reler.

Não só um, mas toda a série de A Seleção, morro de saudade da protagonista e do universo, quero muito reler, ainda mais quando tivermos mais novidades sobre a adaptação.


9- DOCUMENTÁRIOS: um livro de não-ficção que você recomenda a todos.

Sem dúvida o melhor livro cristão que já li: Ele escolheu os cravos do Max Lucado.


10- AÇÃO E AVENTURA: um livro cheio de ação.

The Heart Of Betrayal, segundo livro da série The Kiss Of Deception, que é cheio de ação e muita adrenalina!


11- NOVOS LANÇAMENTOS: um livro que acabou de ser lançado ou que está próximo de ser e que você não vê a hora de ler.


Ansiosa por Um de Nós Está Mentindo, porque é um livro de suspense jovem, e muitas pessoas tem gostado muito do livro, por isso quero para ontem!



Gostaram? Conta para mim seu lançamento desejado! <

POR QUE LER CONTOS?: PARIS PARA UM e outros contos

sexta-feira, 16 de março de 2018



" A vida é curta. Curta demais para ficar tão angustiada."

Página 178

Antes de eu recomendar esse livro cheio de histórias fofas e apaixonantes, quero conversar um pouco sobre a leitura de contos. 
Conto é igualmente construído como um romance: com personagens, cenários, começo, meio e fim, e claro, não podemos esquecer do clímax. O que os diferem então, são as páginas, porque em um romance os acontecimentos se estendem por mais páginas, enquanto no conto, geralmente não passam de 100 páginas.

Há diversos contos, de diversos tamanhos, já li contos de 4 páginas e outros bem maiores que isso, e sempre são bem construídos,  mesmo pequenos, conseguem transmitir a mensagem e causar algum efeito nos leitores.

O post de hoje é dedicado há um dos motivos em que acredito do porquê ler contos. Principalmente para leitores iniciantes, temos contos maravilhosos, dentro de diversos gêneros que proporcionam uma leitura rápida e gostosa. Muitas vezes, o tamanho de um romance assusta os leitores novos, por isso acredito que os contos sejam um bom lugar por onde começar a vida literária.

Paris Para Um e Outros Contos é um livro composto por 10 contos cheios de romance, drama e diversão. Escrito pela amada Jojo Moyes, autora de Como eu era antes de você, é construído com a mesma linguagem fluída e gostosa dos outros livros da autora.

É claro que dentro do livro, não são todos os contos que são de fato ótimos, alguns são melhores que outros, mas mesmo assim não estragou minha experiência de leitura e me proporcionou uma leitura leve e despretensiosa, porque ás vezes é exatamente disso que precisamos, um livro bem levinho que nos faça esquecer dos problemas e nos proporcione um momento de descontração. 

Fica então minha recomendação desse livro e meu pedido para que vocês deem chance aos contos. Há diversos autores, de diversos gêneros que também escrevem contos como: Clarisse Lispector, José de Alencar, e vários outros. 

5 LIVROS FAVORITOS DO NICHOLAS SPARKS

quinta-feira, 15 de março de 2018



Nicholas Sparks foi um dos primeiros autores de romance que li, e embora atualmente eu tenha conhecido outros autores, mantenho um lugar especial para suas histórias. Ainda não li todos os títulos do autor, mas tenho mais de dez histórias lidas, e hoje vou contar quais são minhas cinco favoritas!!! 


O MILAGRE

Esse foi meu primeiro livro do autor, e diferente de muita gente ai que não gosta, eu amo esse livro. Lembro que foi um  dos primeiros livros em que me surpreendi com o final. Acho impactante a mensagem de que coisas extraordinárias podem acontecer em nossas vidas, e que pessoas são colocadas ao nosso lado por motivos e razões diversos.


" O amor era, acima de tudo, compromisso e dedicação, era acreditar que o passar dos anos com uma determinada pessoa iria criar algo maior do que a soma daquilo que ambas poderiam conquistar separadamente. "

Página 196

UMA LONGA JORNADA

Esse livro é uma das leituras mais recentes e um grata surpresa em perceber que o autor ainda tinha muitas histórias diferentes para contar. Esse livro é diferente dos outros, porque sua construção vai focar na história de mais de um casal. Além de ser extremamente tocante, ele é fluído e muito engraçado em diversos momentos. É um daqueles livros lindos, que quando você termina, são lágrimas e sorrisos juntos.


" Entendo que o amor e a tragédia andam de mãos dadas, porque não podem existir sozinhos, mas ainda  assim me pergunto se a troca é justa. Acho que um homem deveria morrer como viveu; em seus últimos momentos, deveria estar cercado e ser confortado por aqueles a quem sempre amou."

Página 217


QUERIDO JOHN

Esse é um daqueles livros tapa na cara, acho que também o favorito de muita gente. Ele me ensinou eme fez refletir o que é amar de verdade uma pessoa, o que significa sacrificar sua felicidade para ver quem você ama feliz, ele ensina que quando você ama, jamais pode ser egoísta. Além disso, acho que é o livro mais fluído do Nicholas, e também o mais jovem.


" O amor significava pensar mais na felicidade da outra pessoa do que na própria, não importando quão dolorosa seja sua escolha."

Página 277


DIÁRIO DE UMA PAIXÃO 

O livro que deu origem à um dos filmes mais lindos e românticos, também é lindo. Diário de Uma Paixão é um livro poético e muito sensível. É uma história que nos faz acreditar em coisas que não queremos ou que já foi roubado de nós há muito tempo. Tenho um carinho muito grande pela história e morro de vontade de reler.



" Você é toda a razão, toda a esperança e todos os sonhos que eu já tive na vida, e aconteça o que acontecer no futuro, cada dia que estamos junto é o melhor dia da minha vida. Sempre serei seu."

Página 186


O CASAMENTO

Chegamos ao meu favorito desses cinco. Um dos favoritos da vida e a melhor história do Nicholas na minha opinião. Gosto muito de histórias que falem de segundas chances, de relacionamentos marcados pelo tempo e o cotidiano difícil, mas que a cada página faz os personagens lembrar do que realmente importa.


 "Mas acabei entendendo que amar é mais do que resmungar três palavrinhas antes de dormir. O amor é sustentado por ações, pela constante dedicação às coisas que um faz pelo outro diariamente."

Página 58


Conta para mim qual seu livro favorito do autor! Ainda não li nada dele esse ano, mas pretendo mudar isso em breve, geralmente, pelo menos um livro a cada ano eu tenho que ler. <3

CRÔNICA: QUANDO VOCÊ DEIXA DE OLHAR PARA VOCÊ

quarta-feira, 14 de março de 2018



Em quase todos os nossos dias somos egoístas. Olhamos para nossos problemas e conflitos como se fossem o que há de mais assustador no mundo. Ficamos perplexos e focados em nós mesmos. Como vou sair disso, perguntamos. Por que isso está acontecendo comigo? Sou o mais sofredor de todo esse universo. Parece patético como podemos ser tão egocêntricos.

 Mas não percebemos isso, não. Focamos na dor. Na nossa dor. Ou pelo menos o que achamos ser dor. Algumas pessoas passarão a vida toda no lugar de vitimas, lugar este em que elas mesmo se colocam. Não experimentaram nada a mais do que já tem em suas vidas, pelo simples fato de nunca olhar ao redor. Você realmente já olhou ao redor? Já olhou para as pessoas. Digo, olhou de verdade?

Li um livro uma vez, que jamais esquecerei da protagonista e de sua personalidade excepcional em comparação aos outros personagens. No meio das inúmeras atitudes singulares que ela tinha dia após dia, uma em particular me chamou a atenção, e tinha exatamente a ver com pessoas. 

No jornal da cidade, bem escondido nas páginas de noticias boas e pessoas felizes, estavam noticias, histórias de pessoas que precisavam de ajuda, e diferente de todos que nem  enxergavam essas histórias, ela fazia questão de dar voz e ajudar. Quando andava na rua, ela olhava ao redor, ela observava e entendia a história, e fazia algo a respeito.

Talvez para você isso seja uma besteira enorme, mas para mim foi mais, porque me fez questionar o quanto eu olhei. Será que eu olhei? 

Ás vezes nossa dor não é o fim do mundo. Pessoas têm histórias trágicas a cada momento, e ás vezes precisamos olhar e deixar um pouco o nosso lugar de conforto. Não estou falando que nossos problemas sejam irrelevantes, ou que sempre precisamos ficar otimistas, tudo bem você não estar bem, haverá dias de tempestades avassaladoras, disso eu tenho certeza, o que quero dizer é que por vezes, temos que olhar além de nossa própria tempestade, levar sol à outras pessoas.

Quando você deixa de olhar para você, tem um mundo de possibilidades, você torna-se alguém diferente de muitas pessoas por ai. Seja  diferente hoje, olhe ao redor, observe, haverá o dia que alguém também vai olhar para você, vai te trazer o sol, vai fazer você sorrir em meio a dor. Quando você deixa de olhar para você, você olha... Tudo.

UM GRITO NO SILÊNCIO: Só Escute de Sarah Dessen

terça-feira, 13 de março de 2018




" Fosse uma música, uma pessoa ou uma história, havia muitas coisas que a gente não tinha como avaliar com um único trecho ou uma olhada rápida."

Página 157


Só escute veio como uma brisa em um lugar estático, uma grande surpresa e agora um livro favorito que quero compartilhar com o máximo de pessoas que puder.

Conheci a escrita da Sarah Dessen através de Os Bons Segredos, livro com temáticas familiares e personagens muito bem escritos que me conquistaram, e depois também li O que aconteceu com o adeus?, que embora tenha a mesma sutilidade da primeira leitura, não funcionou tão bem para mim. A autora gosta de escrever sobre temas simples, geralmente problemas familiares e compõe  muito bem seus personagens, e embora eu tenha tido uma boa experiência, não chegou nem aos pés do que tive com Só Escute, que definitivamente é meu favorito da autora.

Nesse livro, narrado em primeira pessoa pela nossa protagonista Annabel, vamos acompanhar a jornada de uma garota que tem algo a dizer, que foi silenciada e por isso afetou tudo a sua volta. Começamos sabendo que algo aconteceu, que abalou completamente a amizade que ela tinha com Sophie. Ao longo do livro, vamos descobrindo aos poucos qual é esse segredo e como tudo isso aconteceu, além disso, vamos acompanhar também todos os problemas que sua família tem enfrentado.

Como podem ver, é um livro de muitas camadas, e na verdade é um dos motivos de eu ter amado tanto. Várias  histórias são contadas, e de forma maravilhosamente bem, Sarah Dessen dá voz a todos os personagens, nenhum é negligenciado e entendemos seus conflitos, mesmo que a protagonista e o ponto de vista seja de Annabel.

É muito fácil estar na cabeça da protagonista e logo nas primeiras páginas me conectei com ela, a todo momento torcendo para que sua história acabasse bem.


" Pensei mais uma vez em como nunca sabemos de verdade o que estamos vendo. Bom ou ruim, certo ou errado. Há sempre muito mais coisas envolvidas."

Página 304

Evitei colocar a sinopse  do livro, porque acho que entrega demais, e como li sem ler a sinopse, gostaria que as pessoas tivessem a mesma experiência. O livro todo, em cada personagem e em cada situação gira em torno de ser ouvido,  de não se calar e de gritar em meio ao silêncio. Tudo isso me tocou muito, é um livro com uma temática forte, uma mensagem importante a ser ouvida, mas ele  ultrapassa o sentido central e nos faz pensar em todas as situações em que falar resolve tudo. O silêncio pode ser confortável, seguro, mas às vezes tudo ao redor grita, todas as situações e todas as dificuldades e por vezes tudo  o que você realmente precisa é falar. 

O medo  dá protagonista era de não ser ouvida, não ser acreditada, e mais uma vez o livro  nos joga para cima e nos faz refletir:



" - Só escute- li em voz alta.
- É. Não pense ou julgue. Só escute.
- E depois?
- E depois- ele disse- você pode chegar a uma conclusão. É justo, não acha?"

Página 157

Esse trecho me tocou tanto, que nem sei explicar. Vivemos em uma sociedade em que as pessoas não são ouvidas, só julgadas antes mesmo de saber a história toda. Dia após dia as pessoas são silenciadas, pelo medo da crítica, pelo medo de acreditarem em uma história que não são as delas. Fazemos isso constantemente, olhamos e julgamos, sem escutar. Sem dar voz. 

Ler essa história me arrebatou e me fez refletir nas muitas vezes em que fiz isso. Nas muitas vezes em que acreditei na minha verdade de uma história que nem era minha, das muitas vezes que emudeci alguém, consciente ou inconscientemente.

Além disso, o livro também nos faz refletir ás vezes que nos calamos. O silêncio nem sempre é a resposta, diversas vezes falar é o que precisamos, quando guardamos nossas verdades, principalmente as que nos assombram, ficamos isolados e perdidos. Gritar nossa história é o que precisamos, mesmo que o medo do julgamento seja grande.

Poderia escrever muito sobre esse livro, porque ele merece, mas acho que escrevi o que precisava desabafar. Nem consegui esperar o dia seguinte, tive que escrever assim que acabei o livro. Fica então, minha recomendação para um dos melhores livros que li esse ano, e tenho certeza  que você não vai se arrepender se ler também. E não esqueça: Só escute.



TAG: MEUS HÁBITOS DE LEITURA

segunda-feira, 12 de março de 2018


Oi gente, como vocês estão? Tinha muito tempo que eu não trazia uma Tag Literária aqui para o blog, então decide começar essa semana assim! Vi essa Tag no blog da Jéssica Flores, ela consiste em responder algumas perguntinhas relacionadas com a leitura! Espero que gostem ;)


1- QUANDO VOCÊ LÊ? 

Depende muito. Meu horário favorito é com certeza a noite, mas eu sempre tento aproveitar todas as oportunidades, o que inclui transporte público, filas e até mesmo quando tenho qualquer tempo livro a qualquer horário! Isso na verdade até ajuda, pois quanto mais você utilizar bem o seu tempo, melhor vai ser suas leituras.


2- VOCÊ LÊ APENAS UM LIVRO DE CADA VEZ?

Se eu tivesse respondido essa pergunta há um ano antes a resposta seria sim. Mas, agora não é assim que funciona. Comecei a ler dois livros ao mesmo tempo, e tem sido muito bom para mim. Geralmente um dos livros é uma leitura para o mês inteiro, que tem sido de fantasia e compartilhada, com páginas semanais, e a outra fica livre. Tenho gostado muito da experiência, só recomendo que os livros sejam de gêneros diferentes para que as histórias não se misturem.


3- QUAL SEU LUGAR PREFERIDO PARA LER?

Em casa, na sala. É o lugar que entra mais luz, e eu amo ambientes claros, então é o melhor lugar :)


4- O QUE VOCÊ FAZ PRIMEIRO: LÊ O LIVRO OU ASSISTE O FILME?

Geralmente, leio o livro. Mas já aconteceu de acabar assistindo ao filme primeiro por nem saber que existia o livro. A experiência foi válida, porque as duas plataformas são bem diferentes, e os livros sempre tem mais detalhes, mas por escolha mesmo,  sempre prefiro ler o livro primeiro.


5- QUAL FORMATO DE LIVRO VOCÊ PREFERE? 


Sempre vou preferir livro físico, mas eu amo os ebooks, e minha experiência com o Kindle foi fantástica, na verdade nenhum substitui o outro, eles se complementam. Sem contar que a velocidade de leitura no Kindle é muito rápida, sempre termino os ebooks mais rápidos que livro físico.


6- VOCÊ TEM ALGUM HÁBITO EXCLUSIVO PARA LER?

Não acho que seja exclusivo, mas sempre que vou começar uma leitura nova, escolho um marcador que combine com o livro, post it que tenha as cores do livro, ao longo da leitura, vou marcando as frases favoritas. Adoro esse ritual <3


7- AS CAPAS DE UMA SÉRIE TEM QUE COMBINAR OU NÃO IMPORTA?

Na verdade não, mas é claro que eu me importo com as capas, amo edições e capas bem feitas, então acho que todas as histórias merecem boas capas.


E ai gostaram? Conta para mim quais são seus hábitos de leitura!











JOYLAND: MINHA PRIMEIRA EXPERIÊNCIA COM Stephen King

sexta-feira, 9 de março de 2018




" Só posso dizer o que você já sabe: alguns dias são preciosos. Não muitos, mas  acho que em quase toda a vida há alguns. Aquele foi um do meus, e quando estou triste, quando a vida me dá uma rasteira e tudo parece ruim e sem graça, como a Joyland Avenue em um dia chuvoso, eu volto a ele, ao menos para lembrar a mim mesmo que vida nem sempre arranca nosso couro, Às vezes, ela oferece prêmios. Às vezes, são preciosos."

- Joyland


Sobre o Livro:

CAROLINA DO NORTE, 1973.
O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença grave. 
O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.



Minhas Impressões:

Não poderia deixar de dedicar um post à minha primeira experiência com Stephen King, autor consagrado e considerado o rei do terror, e que na minha opinião merece todos os títulos que carrega.

Joyland com certeza é um livro diferente do autor, mas mesmo assim, acredito que foi o  melhor começo, porque agora quero devorar toda as suas histórias, inclusive as mais assustadoras que Joyland, que na verdade tem apenas poucos vestígios de uma história de terror  e de causar algum tipo de medo.

Como vemos na sinopse, vamos acompanhar a jornada de Dev em seu tempo no parque de diversões Joyland, e é talvez ai que eu tenha dedicado todo meu amor ao livro. Dev é um personagem incrível. Acho que a capacidade de construir um personagem com muitas camadas e cheios de verdade, seja uma das características do autor e que foi realmente muito importante para a minha conexão com a história. Dev é muito bem trabalhado na história, sendo muito fácil se apegar a ele, porque além dessas muitas camadas, ele é um personagem muito legal e divertido.

Ainda na esfera dos personagens, os amigos de Dev também são incríveis, tanto os que aparecem de forma constante no começo do livro, como os que aparecem do meio para o final. Senti que mesmo que Dev fosse o personagem principal, King construiu todos os outros de maneira tão verdadeira, que parecia que eu conhecia muito bem todos eles.

Joyland, o parque de  diversões, proporcionou um cenário muito empolgante para o livro, tanto para o lado da diversão, como para o suspense. Ah, o suspense. Lembro de uma pequena cena do livro, em que estava acontecendo uma certa tensão, que eu realmente senti medo de ler, parece brincadeira, mas tive que fechar o Kindle e fazer outras coisas, tamanha a tensão que fiquei ao ler a cena, o que mostra a destreza do autor em  construir uma cena verdadeira que de fato afeta o leitor.

Como eu disse no começo, e até por algumas sinopses de outros livros do autor, Joyland não é um livro de terror, ele vai mais para o lado do suspense e em diversos momentos um pouco emocional. Principalmente com o final, que final minha gente! Fiquei muito, muito triste com o desfecho e muito surpresa com o autor, por saber construir cenas de extrema tensão e medo, e também cenas delicadas  e tristes, vou confessar que fiquei bem impressionada e pagando pau para o autor.

A revelação principal do livro é bem surpreendente, mas como o meu envolvimento maior realmente foi com os personagens, eu não me empolguei tanto assim, mas isso não tira o valor do suspense e da surpresa em descobrir o que realmente está acontecendo nessa história. 

Joyland então, foi uma leitura muito especial, inclusive, a favorita de Fevereiro, que realmente deu um start para que eu conheça as outras obra do Stephen King, que com certeza ainda esse ano quero conhecer. Se você quer um suspense muito bem escrito, com personagens incríveis e até um pouco de drama, esse é o livro!



5 PERSONAGENS FEMININAS FAVORITAS

quinta-feira, 8 de março de 2018




Em homenagem ao dia da mulher, resolvi trazer minhas 5 personagens femininas favoritas. Escolhi cada uma delas por diversos motivos e virtudes que me inspiram e me dão orgulho! Conta para mim quais são as suas! :D


AMÉRICA SINGER- A Seleção

América foi uma personagem que conheci há algum tempo, mas que de maneira alguma esqueci ao longo dos anos. Seu jeito espirituoso de levar a  vida e interagir com outras pessoas me fez ver como podemos ser leves e fortes em momentos de desespero. Além de ser fácil entender seus dilemas e dúvidas, ela é a melhor pessoa por motivos de: " Meu plano é aproveitar a comida até você me chutar" 


" - Está tudo bem, querida?- ele perguntou.
- Eu não sou sua querida."

Página 126

SKY- Um Caso Perdido

Para quem acompanha o blog há algum tempo, não é novidade que esse é um dos meus livros favoritos da vida e tenho um carinho muito especial pela Sky. Para mim, ela é umas protagonistas mais fortes que já conheci, sua força e esperança para seguir em frente depois de toda a jornada que enfrentou é um tapa na cara quando queremos desistir por qualquer coisa. Em diversos momentos quis poder abraçá-la, mas tenho certeza que pela sua força e coragem, eu que precisaria desse abraço.


" Os acontecimentos da vida de uma pessoa estão todos aglomerados um minuto após o outro, sem nenhum intervalo de tempo, páginas em branco ou pausas de capítulo, porque não importa  o que aconteça, a vida simplesmente continua, segue em frente, as palavras são ditas, e as verdades sempre surgem, quer você queira ou não, e a vida nunca deixa você fazer uma pausa apenas para recuperar o fôlego."

Página 247


KATNISS EVERDEEN- Jogos Vorazes

Essa com toda a certeza é uma protagonista totalmente irreverente e que desperta em nós a vontade de mudar o mundo todo. Ela não é só corajosa, ela é a típica personagem que se sacrifica por aqueles que ama sem nem pensar duas vezes. É alguém que parece fria, mas que carrega dentro de si todo o amor, e luta com todas as forças para defender aquilo em que acredita. É voz que desperta o povo para lutar e estar na cabeça dela nos faz repensar toda a nossa própria realidade.



" Com onze anos, e Prim com apenas sete, assumi a chefia da família. Não havia escolha."

Página 34


SUSY- Susy e as Águas- Vivas

Susy é  só uma garotinha, mas me ensinou tanto que até dói. Além de ser extremamente curiosa e inteligente, ela é aquela protagonista que sente tudo,muito intensamente. Após um grande acontecimento em sua vida, passamos a descobrir como esta personagem encara a vida e seus pensamentos peculiares acerca de assuntos tão triviais. É como se alguns dos pensamentos  que já tivemos alguma vez, e imaginamos que ninguém mais teve, tivesse dentro da cabeça dela. E tem muito a nos contar.


" E isso me fez perceber o seguinte: a história de cada pessoa é diferente, o tempo todo. Ninguém está com ninguém de verdade, mesmo que ás vezes pareça estar."

Página 18


LIA- The Kiss Of Deception

Termino essas indicações, falando de uma personagem que é a coragem encarnada. Lia luta por aquilo que acredita e não se conforma com qualquer situação porque alguém disse que era o certo. Ela faz aquilo que acredita ser o melhor para ela e para todos. Ela nos ensina que devemos  ir atrás de nossos nossos e fazer o impossível para não parar.



" Pode-se levar anos para moldar um sonho, mas é preciso apenas uma fração de segundo para despedaçá-lo."

Página 244


Espero que ao lermos e descobrirmos novas histórias e protagonistas, consigamos nos inspirar na força de cada personagem. À você mulher, todos os  dias  são seus, você tem o mundo todo pela frente, não deixe ninguém te parar!

Clássico do Mês: LUCÍOLA de José de Alencar

quarta-feira, 7 de março de 2018



" No livro da vida não se volta quando se quer, a página já lida, para melhor entendê-la; nem pode-se fazer a pausa necessária à reflexão. Os acontecimentos nos tomam e nos arrebatam às vezes tão rapidamente que nem deixam volver um olhar ao caminho percorrido."

- Lucíola

Lucíola foi minha segunda leitura de Março e meu clássico do mês, já que me propôs ao longo de todos os meses incluir clássicos brasileiros e de outros países em minhas leituras, e sem dúvida alguma o livro foi uma decisão assertiva.

Além desse livro, já fiz mais quatro leituras do autor, sendo elas: Cinco Minutos ( minha favorita), Til, Iracema e Senhora. José de Alencar faz parte do romantismo brasileiro, sendo o autor que consolidou e criou uma literatura nacionalista. Seus romances dividem-se em grupos sendo que Lucíola se encaixa nos romances urbanos, que tem como características representar os comportamento humano em  uma determinada sociedade e discutir os valores morais em transformação de cada personagem.

Em Lucíola, o livro será narrado em primeira pessoa pelo Paulo, e logo nas primeiras páginas sabemos  que a história que ele vai contar  já aconteceu há algum tempo, porém o autor cria a narrativa de forma tão real, que realmente parece que o protagonista está vivendo todas as situações como se fossem novas.

Paulo conhece Lúcia, uma cortesã da sociedade do Rio de Janeiro em 1800 e apaixona-se por ela e  ao longo da história vamos  conhecer e acompanhar as dificuldades e dúvidas desses personagens. 

Confesso que quando comecei a leitura, me envolvi rapidamente com o livro e adorei, porém o meio do livro me irritou muito e eu acabei perdendo o encanto e não encontrei sentido em tudo o que estava acontecendo ou o que o autor queria com a obra, mas os 25% finais do livro transformaram totalmente a  experiência  de leitura para mim.

Entendemos, nessas últimas páginas toda a construção da personagem Lúcia, e queremos a todo o momento um final diferente para ela. Embora eu tenha achado o destino dos personagens muito satisfatório, não posso deixar de expressar minha vontade para um fim alternativo, que torci até o último momento.

A linguagem é rebuscada, mas está longe de ser difícil, assim como em Senhora, o autor cria um cenário e um ambiente tão gostosos no livro, que  é fácil virar cada página e se envolver com os personagens.

Enfim, Lucíola  é um daqueles livros fáceis de amar pela trajetória e destino dos personagens, é um romance característico do autor e muito importante para representar as tendências criadas por José de Alencar. Recomendo o livro pela história e escrita, e acredito que o autor é um dos meus favoritos para a literatura brasileira.

CRÔNICA: ESTOU VIVO

terça-feira, 6 de março de 2018



Li a frase de um livro um dia e isso ficou na minha cabeça por dias: " Estar vivo é sentir saudade". Fez tanto sentido pra mim quanto qualquer coisa que ouvi no restante do dia. A saudade é a rotina daqueles que estão vivos.

Sentir falta de alguém não tem haver com perder a pessoa e sim quanto de você essa pessoa levou. Existem algumas poucas pessoas que conseguem  ser e fazer coisas em nós que jamais imaginamos ser possível, pessoas que mudam completamente algo em você e que reverbera ao longo de toda sua vida. Pessoas deixam marcas.

Há vários tipos de perdas. E vários tipos de saudade. Alguma pessoas não entendem o sentimento. O buraco que uma pessoa abriu, o espaço que demos a ela em nossas vidas só pode ser preenchido por ela. Ao longo de toda nossa vida abrimos espaços diversos. Às vezes para pessoas erradas, e algumas poucas vezes para as certas. Aquelas que seu coração e sua vida sabiam que viriam.

Eu sinto saudade. Sinto saudade de pessoas que não estão mais aqui, mas que permanecem vivas em cada memória minha. Sinto saudade de pessoas que nem estão mais presentes em minha vida, mas que já estiverem em algum momento e sempre serão parte de mim. Sinto saudade de pessoas que estão longe do meu alcance, mas que estão mais perto do meu coração do que eu mesmo.

Estou viva. Você está vivo. Sentirá saudade a cada dia que nasce e morre. Hoje eu acordei e senti saudade. Estou viva.

Todo mundo deveria ler É ASSIM QUE ACABA da Colleen Hoover

segunda-feira, 5 de março de 2018



" Todo mundo erra. O que determina o caráter de uma pessoa não são os erros cometidos.  É como ela usa esses erros e os transforma em aprendizados, não em desculpas."

Página 191

Sobre o livro:

Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

Minhas Impressões:

Incrível seria pouco para mais uma das minhas experiência com a autora. Atualmente ela é uma das minhas autoras favoritas e é sempre tão emocionante e impactante ler as suas histórias,que fica até difícil encontrar as palavras certas para essa recomendação.

Mais uma vez, a escrita de Colleen está impecável, ela realmente sabe construir uma narrativa envolvente e todos os  seus textos são muito bem escritos, sendo todos fluídos e muito encantadores.

Esse livro se tornou um dos meus favoritos, e acho que é um dos livro mais necessários que a autora já escreveu,  digo isso porque além de toda a construção do romance  e histórias, que sempre são tão inovadoras e viciantes, a autora escolheu um tema que logo nas primeiras cenas, percebemos que ela tem domínio, e para mim a história se tornou uma denúncia, um grito, uma espera de conscientização  e luta para algum tipo de mudança.

O tema principal é sobre violência doméstica, sendo extremamente doloroso ler cada cena, Hoover conseguiu construir de forma que realmente sentimos cada emoção da personagem principal como se fosse com a gente. É tão real chegou a doer, e eu precisei em diversos momentos respirar, largar um pouco o livro e me recuperar emocionalmente, tamanho o impacto que a história trouxe. Assim como Amor Amargo, É assim que acaba foi muito difícil de continuar a ler.




"As pessoas passam tanto tempo se perguntando por que as mulheres não vão embora... Onde estão as pessoas curiosas do porquê os homens serem violentos? Não é ai que deveria estar a culpa?

Página 272


Mais uma vez, teremos um livro com personagens tão reais que chega a doer, costumo pensar que a autora constrói pessoas reais, e não somente personagens, pois cada pensamento e ação, e até a personalidade são tão palpáveis que parece que realmente existem.

Vamos novamente, assim como as outras histórias, sofrer por cada personagem, cada escolha e cada situação difícil que terão que suportar. Outra vez, teremos muitas surpresas ao longo da história e na verdade não sei se consigo realmente colocar em palavras toda essa aventura que é ler uma história da Colleen. Precisei, na verdade, de um fim de semana todo para digerir o livro, e até agora, parece que ele ainda reverbera em mim.

Minha primeira leitura de Março me impactou, e me fez sentir por todas as mulheres que foram silenciadas, que passaram suas vidas suportando e sendo dia após dia, subjugadas por relacionamentos abusivos. Espero de todo o coração que esse livro chegue a todos que precisam, porque ele é necessário. Fica então minha humilde recomendação da obra, e minha eterna gratidão à Colleen pela coragem de escrever esse livro.

À todas as mulheres e pessoas que precisam lutar, como Colleen nos fez sentir a cada página virada: 
" Continue a nadar."

LEITURAS DE FEVEREIRO- 2018

sexta-feira, 2 de março de 2018



Março começou, então é hora de conversar um pouquinho sobre as leituras que fiz no mês de Fevereiro. Foi um mês bem produtivo, consegui ler sete livros e um conto, todos bem variados! Tive algumas decepções e na verdade não foi um mês de grandes leituras, mas todas foram válidas. :D


DOCE PERDÃO- Lori Nelson Spielman

Esse livro fez meu mês começar muito bem e na verdade foi um dos meus favoritos. Carregando uma mensagem de perdão e recomeços, acompanhamos a protagonista Hannah Farr descobrir que às vezes tudo o que precisamos é nos perdoar. Com uma narrativa fluida e tocante, o livro traz mensagens muito importantes que nos conquista a cada página virada. Além da história principal, a autora foi genial em colocar pequenas histórias ao longo do livro que ajudaram na construção da narrativa e tornaram o livro ainda mais especial. Recomendo muito, assim como o outro livro da autora A Lista de Brett, sendo este uma pegada mais divertida da autora.


THE BEAUTY OF DARKNESS- Mary E. Pearson

A finalização da série Crônicas de Amor e Ódio foi cheia de falhas e uma decepção para um livro que seria o fechamento da história. A autora não conseguiu  conduzir a narrativa de forma inteligente, escolhendo deixar metade do livro com uma leitura cansativa e cenas desnecessárias, as últimas 100 páginas compensam um pouco, mas mesmo assim não foi satisfatório. Contudo, continuo tendo um carinho enorme pela história e recomendo!


A REVOLUÇÃO DOS BICHOS- George Orwell 

Meu clássico do mês não me conquistou tanto assim, 1984 foi o meu favorito do autor até agora,  mas mesmo assim, ainda é uma sátira fantástica e uma grande denúncia ao totalitarismo.


A HISTÓRIA DE NÓS DOIS- Dani Atkins

Talvez minha grande decepção do mês porque as expectativas estavam altas para esse romance! O livro começou muito bem, e as 70 primeiras páginas me tiraram o chão e me conquistaram de forma louca e eu realmente achei que seria uma leitura incrível, mas ao longo da história, achei que a autora foi se perdendo e mostrando uma história sem diferencial algum. O primeiro livro que li da autora, Uma Curva no Tempo, é tão diferente e genial que achei que esse teria o mesmo formato e artifícios, mas não foi. 
A cada página, toda a relação que eu tinha estabelecido com os personagens, foi se desconstruindo até quase não sobrar nada. Gostei do final, acho que salvou o livro, mas infelizmente, não gostei tanto assim.


REUNIÃO- Meg Cabot

Terceiro livro da série A Mediadora me fez entender o porquê as pessoas gostam tanto da história. Os dois primeiros livros foram bem chatinhos e nada realmente me chamou a atenção, mas esse foi muito divertido e rápido de ler, tanto que assim que terminei já queria emendar no próximo. Amo as tiradas da Sussy e não vejo a hora de descobrir o que vai acontecer com nossa mediadora ( e claro, nosso fantasma Jesse).


O OBSTINADO AMOR DE DEUS- Brennan Manning

Meu livro cristão do mês foi muito especial, ainda  mais por causa desse tema tão importante. O livro é cheio de versículos e reflexões acerca do amor de Deus, que nos faz entender um pouco mais a profundidade de tudo o que Ele fez por nós. Já gostei muito da escrita do autor, embora não seja poética como a de Max Lucado, é uma narrativa especial e com certeza vou querer ler outros títulos.


PARA CADA INFINITO- Victor Almeida

Acompanho o canal do Victor e adoro seus vídeos, e já gostei muito da escrita dele através desse conto. Ele tem uma narrativa muito fluída e tocante em várias partes, embora eu não leia muito sobre a temática e segmento que ele escolheu escrever, achei que ele conseguiu construir a história de uma forma doce  e tranquila. Curti bastante.


JOYLAND- Stephen King 

Meu primeiro contato com o rei do Terror foi incrível, sem dúvida alguma minha última leitura de fevereiro também foi a minha favorita. Joyland é incrível! Adorei o personagem principal e seus dilemas, o suspense foi muito bem construído e a escrita é viciante, sem contar que além de saber construir muito bem uma tensão e adrenalina em uma cena, ele também soube construir cenas extremamente tristes! Como pode isso minha gente?
Recomendo muito e a partir de agora quero ler tudo do autor! Sei que esse é um livro bem mais tranquilo no quesito terror, pois na verdade, as cenas de "sustos" são em uma medida pequena, mas mesmo assim quero devorar qualquer livro, e ao longo do ano, vocês verão alguns livros do autor.



E fim! Conta pra mim quais foram as leituras de vocês, os favoritos e o que pretendem ler em Março, espero que tenham gostado das indicações. <3

Fim de Série: CRÔNICAS DE AMOR E ÓDIO

quinta-feira, 1 de março de 2018



" Você é forte,

Mais forte do que sua dor,

Mais forte do que seu pesar, 

Mais forte do que eles.

E eu me forço a ficar em pé de novo."

Pág 90- The Beauty Of Darkness



Mais uma finalização de série e mais uma vez o sentimento de saudade e satisfação de ter conhecido a história e seus personagens.

Para quem não conhece a história, vamos conhecer nossa protagonista Lia, que é princesa no Reino de Morrighan e que decidiu fugir de seu casamento arranjado com um príncipe de outro Reino. Ela embarca nessa jornada e o primeiro livro tem um plot muito legal: nossa princesa torna-se alvo  do príncipe que quer encontrá-la a qualquer custo e de um assassino contratado para matá-la. Ao longo na narrativa, os capítulos também começam a ser partilhados por esse dois personagens, mas há um detalhe que nos faz pirar: não sabemos quem é quem.

Logicamente a série tem diversos mistérios e o que nos é entregue no primeiro livro é só a ponta de um universo gigantesco, cheio de intriga, traição e muito mistério!




Não posso falar do enredo dos outros dois livros, mas quero conversar sobre alguns aspectos que são tão importantes para a série e que conseguem homenagear tudo o que a história representou para mim.

A Lia é uma protagonista que jamais vou esquecer, ela é corajosa e espirituosa, conquistando os leitores logo nas primeiras páginas com sua ousadia e personalidade irreverente. Ela é realmente incrível sendo um dos aspectos mais importantes da narrativa.

Os outros dois personagens que ganham protagonismo, também são incríveis ( embora eu tenha meu favorito). Muito bem construídos, passiveis de erros e acertos e que assim como a Lia, nos conquista muito! Na verdade, construção de personagens é um dos aspectos geniais da autora e que transformam a história a cada página virada.



"Não é bom viver no talvez. O talvez pode ser distorcido e transformado em coisas que nunca existiram de verdade."

Pág 319- The Kiss Of Deception


Os dois primeiros livros são os melhores, sendo o segundo o meu favorito, a finalização da série foi um pouco decepcionante, acho que a autora não soube conduzir a narrativa para um bom final, ela tinha tudo nas mãos: personagens fantásticos, universo incrível, mas não conseguiu trabalhar bem, tanto que foi um livro bem arrastado. Mas, mesmo com as falhas, ela conseguiu finalizar de um jeito satisfatório. Não foi perfeito, mas "Ok".

Recomendo muito, é estranho apostar em uma história que a finalização não seja muito boa, mas acho que vale a pena, porque além disso, a escrita da autora é muito boa, com uma narrativa fluída e muito viciante. Não me arrependo de ter lido e vou guardar sempre com muito carinho essa história e esses personagens.



Se você quer uma série monarca cheia de aventura, romance e personagens incríveis, leia Crônicas de Amor e Odío, sem falar nessas edições né gente, coisa linda de ter <3