Resenha: Perdida

terça-feira, 1 de março de 2016



Sinopse (Skoob): Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa – ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo – e lindo – Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...

Oi gente bonita, como vocês estão?

O mês acabou ( já?), novas leituras virão hehe, mas hoje trago resenha de um livro muito amor que li em Fevereiro. Lembrando que ainda essa semana tem post de leituras do mês ;) Olha só, spoiler bom que estou dando haha. Mas vamos lá!

Perdida, como vocês viram na sinopse, conta a história da Sofia, que acaba comprando um celular que a fez viajar no tempo e para no século IX, mas precisamente 1830. Só até ai, a história já te anima, pelo menos para mim, é bastante chamativo. A leitura fluí rápido e a escrita da autora é bem engraçada, o que ajuda a deixar a leitura bem leve.

É a minha segunda experiência lendo chick-lit e posso dizer que foi muito boa. Sofia enfrenta cada coisa, porque além de ser extremamente ligada a tecnologia, ela também é peculiarmente atrapalhada, o que dificulta DEMAIS sua vida no século IX.


" Ele sorriu mais uma vez. Pensei com amargura que era uma pena as pessoas de hoje não serem mais assim, não sorrirem com tanta facilidade, como Ian fazia..."

Página 60

Ian Clarck. Como achei importante a construção desse personagem, não só a sua maneira gentil de tratar as pessoas, mas valores que foram perdidos que foram tão bem tratados no livro, e que me encantaram. É realmente mágico pensar, nos bailes, os vestidos rodados, toda aquela formalidade que parece cafona, mas que na minha opinião tem todo o seu charme. Foi incrível mergulhar na história e nos cenários de 1830. Outra coisa bem importante, e que na verdade está nas notas no final do livro, é que a autora excluiu da história a escravidão. Achei tão genial, pois assim como ela falou, também acho que esta fase foi uma mancha na nossa história, então nada melhor que exclui-la, como num passe de mágica, que é o tom do livro a narrativa toda.

O avanço da Sofia, e tudo o que ela aprende ao longo do livro é apaixonante. E é o que dá sentido a história. Gostei bastante de tudo, embora tenha dado 4 estrelas mais por uma razão de ter faltado algo, demorei de me conectar, e de me apaixonar mais pelos personagens. Mesmo assim, não deixa de estar no meu coração. <3

Era isso, espero que tenham gostado de mais uma resenha! Até a próxima :D

Nenhum comentário

Postar um comentário