Resenha: O estranho caso do cachorro morto

quinta-feira, 22 de outubro de 2015


Sinopse (Skoob): Christopher John Francis Boone sabe de cor todos os países do mundo e suas capitais, assim como os números primos até 7.507. Gosta de animais mas não entende nada de relações humanas. Adora listas, padrões e verdades absolutas. Odeia amarelo e marrom e, acima de tudo, odeia ser tocado por alguém.

Christopher Boone tem 15 anos e sofre de síndrome de Asperger, uma forma de autismo. Um dia, christopher encontra Wellington, o cachorro da vizinha morto no jardim. É acusado de assassinato e preso. Depois de uma noite na cadeia, decide descobrir quem matou o animal, e, inspirado no seu personagem fictício favorito, o impecavelmente lógico Sherlock Holmes, escreve um livro, relatando suas investigações.

Olá pessoas, tudo bem? <3

Hoje trago mais uma resenha para vocês. Bom, quando comecei ler esse livro, confesso que estava sem expectativas, ainda mais porque era um dos últimos livros da minha lista de "não- lidos". Pois é, finalmente cheguei naquela fase onde os leitores não tem mais livros para ler haha. Preciso urgentemente ir as compras, ou ganhar uns de presentes hehe :) Mas, chega de enrolação e vamos a resenha, porque por mais que não tenha sido um livro tão desejado, foi muito bom para a minha experiencia como leitora.

Como podemos ver na sinopse, o livro é narrado pelo Christopher, que sofre da Síndrome de Asperger, e é a primeira vez que leio um livro narrado por um autista.

Me surpreendi, pois a narrativa é bem leve e fluída, pois ele é um adolescente objetivo e simples.
" ... É como quando você está aborrecido e aperta o rádio no ouvido e o sintoniza entre duas estações, assim tudo que sai é um chiado, que nem um barulho vazio, e então você aumenta o volume, aumenta muito, para só ficar ouvindo o chiado e então você sabe que está seguro porque não pode ouvir mais coisa nenhuma."
Página 16/17

Além de você se aventurar no mistério que ele quer resolver, você é deliciado pelos pensamentos e a forma que ele vê o mundo. Ele é extremamente inteligente, e ama matemática ( bem ao contrário de mim haha), e nos surpreende a cada atitude.
"... Acho que números primos são como a vida. Eles são muito lógicos, mas a gente nunca descobre quais são as regras, mesmo se passar o tempo todo pensando neles."
Página 23

Um trecho do livro que me tocou muito, e que mudou minha forma de pensar, mas também a forma de pensar de pessoas que sofrem de qualquer doença, foi esta:
" Porque amar alguém é ajudá-lo quando ele está com problemas, tomar conta dele, falar sempre a verdade, e o Pai toma conta de mim quando estou com problemas, como quando foi atrás de mim, no distrito policial, cozinha para mim e sempre me diz a verdade, o que significa que ele me ama."
Página 121

Isto me tocou de uma forma que nem sei explicar. Definir amor com essas palavras, me mostrou que muitas vezes nem pessoas "normais" conseguem definir coisas em suas vidas. É tão louco que me peguei pensando que nem eu já consegui definir amor com tanta destreza. Christopher não só nos mostra nesse trecho que o amor é formado por simplicidade, como também quão incrível e super capaz pode ser uma pessoa que sofre de alguma doença.

Além de o livro tratar desse tema e mostrar as conquistas e barreiras que o Christopher passa ao longo do livro, ele também trata de questões familiares bem complexas, que na cabeça do menino, é bem mais simples. Achei isso incrível, pois mostrou algo bem real.

Dei quatro estrelas para o livro, porque por mais que eu tenha amado, achei que faltou algo, não sei o que foi, por isso tirei uma estrela. Mas nada que tenha sido tão relevante para tirar o foco de quão brilhante é o livro.
" ... o que quer dizer que eu posso fazer qualquer coisa."
Página 283

Era isso gente, leiam esse livro, e alias qualquer outro que trate de algum tipo de doença, pois é muito bom entrar nesse universo, sua cabeça muda. Seu modo de pensar muda. Você muda. É incrível e não vejo a hora de procurar mais livros sobre o tema.

Beijos :D

Nenhum comentário

Postar um comentário