TBR- O que vou ler em Maio?

quarta-feira, 2 de maio de 2018



Vamos então à pilha de livros que separei para ler em Maio. Ainda vou fazer post das leituras de Abril essa semana, então fiquem ligados! Lembrem-se que eu coloco a sinopse dos livros porque sei que algumas pessoas gostam, mas fiquem atentos com possíveis spoilers! 


O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA- C.S LEWIS

"Dizem que Aslam está a caminho. Talvez já tenha chegado", sussurrou o Castor. Edmundo experimentou uma misteriosa sensação de horror. Pedro sentiu-se valente e vigoroso. Para Suzana, foi como se uma música deliciosa tivesse enchido o ar. E Lúcia teve aquele mesmo sentimento que nos desperta a chegada do verão. Assim, no coração da terra encantada de Nárnia, as crianças lançaram-se na mais excitante e mágica aventura que alguém já escreveu.

Para dar continuidade à minha releitura de As Crônicas de Nárnia, essa é a crônica do mês de Maio!


FANGIRL- RAINBOW ROWELL

Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série, está sempre antenada aos fóruns, escreve uma fanfic de sucesso e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme.
Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real.
Mas agora que as duas estão indo para a faculdade e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto.
Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências.
Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?


Amo os livros da autora e mal posso esperar para fazer essa leitura! <3


ANJO MECÂNICO- CASSANDRA CLARE

Tessa Gray tem um anjinho mecânico pendurado no pescoço, um presente de família do qual nunca se separa. O tique-taque do pingente faz com que ela se sinta segura junto à lembrança dos pais, que já morreram. Mal sabe Tessa que esse barulhinho muito em breve vai se tornar o odioso som de um exército comandado por forças do Submundo. Com os Caçadores de Sombras e seu recém-descoberto poder sobrenatural, ela enfrentará uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das trevas na Londres vitoriana.

Estou bem ansiosa para essa trilogia da autora, porque embora eu já tenha lido três livros da série Instrumentos Mortais, ainda não me envolvi e amei a história, espero então que essa história me conquiste!!!


ASSASSINATO NO EXPRESSO DO ORIENTE- AGATHA CHRISTIE 

Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano.
O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.

Depois de ter uma péssima experiência com um livro da autora e ter abandonado, finalmente vou dar mais uma chance e torcer para gostar! Aliás, um filme foi lançado a pouco tempo, então quem sabe posso fazer um livro X filme! <3


SETE PRIORIDADES DA VIDA DO CRISTÃO- SILAS MALAFAIA

Escolha do meu livro cristão do mês :)


ASSOMBRADO- MEG CABOT

Suzannah passou o último verão no Pebble Beach Hotel and Golf Resort. Não, ela não estava hospedada com os ricaços. Em vez disso, tomava conta dos filhos deles. Foi assim que ela conheceu Paul Slater. Suzannah era a babá do irmãozinho dele, Jack, e Paul se encantou por ela. Mas é claro que quando um garoto bonitão se interessa por ela as coisas não podem simplesmente dar certo.

Penúltimo livro da série A Mediadora, que me conquistou aos poucos e que não vejo a hora de terminar! <3


O SEGREDO DO MEU MARIDO- LIANE MORIARTY

Imagine que seu marido tenha lhe escrito uma carta para ser aberta apenas depois que ele morresse. Imagine também que essa carta revela o pior e o mais profundo segredo dele - algo com o potencial de destruir não apenas a vida que vocês construíram juntos, mas também a de outras pessoas. Imagine, então, que você esbarra nessa carta enquanto seu marido ainda está bem vivo...
Cecilia Fitzpatrick tem tudo. É bem-sucedida no trabalho, um pilar de sua pequena comunidade, uma esposa e mãe devotada. Sua vida é tão organizada e imaculada quanto sua casa. Mas uma carta vai mudar tudo, e não apenas para ela: Rachel e Tess mal conhecem Cecilia - ou uma à outra -, mas também estão prestes a sentir as repercussões do segredo do marido dela.
Emocionante, O segredo do meu marido é um livro que nos convida a refletir até onde conhecemos nossos companheiros - e, em última instância, a nós mesmos.

Segundo o livro que vou ler da autora e não vejo a hora! Amei o primeiro e sei que vou amar esse também!



E essas foram minhas escolhas para esse mês. Conta para mim o que você pretende ler esse mês! :D

Clássico do Mês: FAHRENHEIT 451 de Ray Bradbury

segunda-feira, 30 de abril de 2018



" Deve haver alguma coisa nos livros, coisas que não podemos imaginar, para evar uma mulher a ficar numa casa em chamas; tem de haver alguma coisa. Ninguém se mata assim a troco de nada."


- FAHRENHEIT 451

Fahrenheit 451 foi meu clássico do mês de Abril, ele foi escrito pelo autor Ray Bradbury  e lançado em 1953. O livro pode ser incluído na categoria de Distopias e por isso estava tão ansiosa para ler, porque meu TCC foi baseado no estudo de distopia e analisei Jogos Vorazes, que é tão conhecida e amada por vários leitores.

Para quem não conhece nada do gênero, os livros distópicos geralmente são construídos com muita  tensões sociais e assuntos à serem denunciados: governos opressores, injustiças e um mundo criado cheio por meio de violências e mazelas.

Na obra de Ray, conhecemos um mundo no qual todos os livros foram proibidos e qualquer pessoa que for encontrada na posse de qualquer livro pode ser presa ou até condenada a morte. O nosso protagonista Guy Montag, é um bombeiro que nesse mundo serve para queimar livros, casas e ou até pessoas que tenham relação com livros, e é nesse ponto que vamos acompanhar o protagonista refletir sua própria realidade e questionar suas ações.

As ideias e questões dentro do livro são incríveis, a todo o momento ele nos faz pensar como temos sorte em viver em uma sociedade na qual temos acesso aos livros, mas também nos faz lembrar que ler é ter poder e os grandes reconhecem essa verdade.

É emocionante ver a jornada do Guy e suas transformações ao longo na narrativa, além de que todas essas reflexões alcançam o leitor de maneira efetiva.

No entanto, não achei que o livro foi perfeito, acho que o desenvolvimento foi um pouco falho, e em diversos momentos confuso nas descrições das cenas, o que dificultou visualizar bem os lugares, as situações e as pessoas. Na construção do mundo, embora esse não seja o real objetivo da história, precisava ser mais trabalhado e detalhado porque senti que estava em um mundo muito bem construído e imaginado, mas não fui apresentada à ele de maneira palpável.

Ainda sim valeu a pena a leitura e recomendo, inclusive agora faltam poucas distopias clássicas para serem lidas. E vocês, já leram distopias? Conta aqui nos comentários!

Relendo As Crônicas de Nárnia: O SOBRINHO DO MAGO

quarta-feira, 18 de abril de 2018


" Quando as coisas vão mal, parece que vão de mal a pior durante certo tempo; mas quando começam a ir bem, parecem cada vez melhores."

Página 96


Sobre o livro:

A aventura começa quando Digory e Polly vão parar no gabinete secreto do excêntrico tio André. Ludibriada por ele, Polly toca o anel mágico e desaparece. Digory, aterrorizado, decide partir imediatamente em busca da amiga no Outro Mundo. 


Hoje começamos com o projeto de releitura de As Crônicas de Nárnia, e vou comentar com vocês sobre a primeira crônica O Sobrinho do Mago.As Crônicas de Nárnia foram escritas pelo autor C. S. Lewis por volta de 1950 e até hoje são histórias que encantam as pessoas e seus leitores

Foi uma experiência realmente incrível poder voltar a esse mundo que sou tão apaixonada depois de 4 anos quando li pela primeira vez, e tenho certeza que a leitura de todas as outras será tão boa quanto essa aqui.

Focando agora em O Sobrinho do Mago, é uma das minhas favoritas, pois além de ser o inicio de toda a história, ela está interligada com diversas coisas que acontecem nas outras. A versão que estou lendo, as crônicas foram organizadas em ordem cronológica o que nos dá uma dimensão maior e facilita para entender como as coisas foram organizadas. É interessante lembrar, que a ordem de publicação é diferente da cronológica, mas acho que essa é a melhor organização de leitura.


" Pois o que você ouve e vê depende do lugar em que se coloca, como depende também de quem você é."

Página 69

Essa é uma crônica cheia de aventura, e talvez uma das que mais revelam segredos que nos faz entender a história, é uma crônica rápida, mas bem completa, com personagens engraçados e que refletem de alguma forma nossas fraquezas, conflitos e dúvidas.

C.S Lewis é conhecido por seus trabalhos envolvendo a apologia cristã, e realmente encontramos isso nas histórias, algumas mais que outras. No caso de O Sobrinho do Mago, embora de maneira sutil e nada direto, reconhecemos muitas coisas e fazemos uma ligação instantânea (se você é cristão, assim como eu, é bem mais fácil de ver), no entanto, a história não perde sua magia, porque sim, tem apologia cristã, mas também tem magia, anões, faunos, bichos falantes e encantamento a cada página.

Essa primeira história nos leva a relembrar o que é ter esperança e acreditar nas coisas sem olhar nossas circunstâncias, nos faz rever a fé e focar no que é importante, sem nunca deixar de ser quem somos.

Temos muita história pela frente e espero que vocês curtam tanto quanto eu! Já leram ou estão relendo comigo? Conta para mim como foi as impressões de vocês :)

TAG: NO OUTONO É SEMPRE IGUAL

terça-feira, 17 de abril de 2018



Não, você não está no lugar errado! Hoje vai ter livros e música sim! A tag foi inspirada por uma das músicas mais famosas da Sandy&Junior, e foi criada pela Melina Souza. São perguntas que conectam a música aos livros e espero que gostem!

  • A noite cai, o frio desce: um livro que se passa em uma época fria;

DEIXE A NEVE CAIR, é um livro de contos que se passa nas festas de fim de ano dos Estados Unidos. O nome não deixa mentir, e além de ser um livro super fofo, com mensagens lindas para o fim de ano, é um livro que dá a sensação de muito frio. Os contos são do John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle.



  • Mas aqui dentro predomina esse amor que me aquece protege da solidão: um livro quentinho no coração;

A EXTRAORDINÁRIA GAROTA CHAMADA ESTRELA do autor Jerry Spinelli, foi a primeira leitura de 2018 que termina enchendo seu coração de esperança. A nossa protagonista nos ensina tanto que é difícil partir para outros personagens depois que você a personalidade tão autentica da Estrela.

  • A noite cai, a chuva traz o medo e a aflição: um livro com uma atmosfera sombria;

A GAROTA DA CAPA VERMELHA é uma leitura antiga da minha estante, construída como uma releitura de Chapeuzinho Vermelho, é um livro com uma atmosfera pesada do começo ao fim. Eu amei a leitura na época e fico bem triste pelo livro não ser tão conhecido.


  • Mas é o amor que está aqui dentro que acalma meu coração: um livro que você gostaria de poder viver dentro e interagir com os personagens;

Os personagens da série Corte de Espinhos e Rosas me conquistaram de maneira surpreendente, trouxe CORTE DE NÉVOA E FÚRIA porque foi nesse livro que me envolvi de cabeça ( e coração) com todos eles. Queria realmente que eles existissem!


  • No outono é sempre igual: um livro, autor ou gênero que você sempre gosta de ler nessa época do ano;
Como trouxe uma fantasia na lista, vou usar ela como exemplo. Essa época do ano é propicia para ler histórias mais densas e complexas! Amo! 

  • As folhas caem no quintal: um livro que trata sobre algum assunto delicado;
POR LUGARES INCRÍVEIS é meu novo favorito da vida, e trata sobre suicídio, que é um assunto ainda tabu e muito delicado em nossa sociedade. Que livrão minha gente, recomendo!


  • Só não cai o meu amor: um livro com uma história de amor;

Decidi sair dos clichês e trazer O FUTURO DE NÓS DOIS que não é um livro muito conhecido, mas que tem uma história de amor e amizade muito profunda. O livro vai ter uma pegada de ver o futuro, e além disso é muito engraçado em diversas partes sem perder a seriedade da mensagem! Recomendo!

  • Pois não tem jeito, não, é imortal: um livro que você acha que deveria virar um clássico para que todas as futuras gerações pudessem ler;

Tem diversos livros que eu gostaria que virassem clássicos, mas escolhi EXTRAORDINÁRIO porque acredito que é um livro que nos faz ser pessoas melhores depois da leitura, e exatamente do que o mundo precisa: pessoas gentis, amáveis e que sabem tratar o próximo com amor e respeito.


Adorei responder a tag, relembrar algumas histórias antigas e essa música tão linda! Conta aqui para mim quais serão seus livros do outono!

Diário: ME FORMEI: LETRAS!

segunda-feira, 16 de abril de 2018



Fazia muito tempo que não trazia um post para a categoria de Diário, e eu não pudia deixar de trazer e comentar um pouco sobre um dia muito especial para mim, e acredito que quem já viveu esse momento vai concordar que a emoção e a felicidade da conquista são indescritíveis.

Para quem não sabe, me formei em Letras pela Faculdade Sumaré, e acho que é importante falar: me formei no curso que escolhi! E que decisão assertiva! Porque eu não poderia ter escolhido um curso melhor. A minha relação com livros começou dois anos antes de começar a faculdade, então estar e fazer um curso como o de Letras foi uma aventura e me lembro muito bem que frequentar as aulas e desenvolver os trabalhos era estar fazendo o que eu amava: cercada pela escrita, pelos livros, por leituras e análises de obras que marcaram as sociedades por séculos. Olho para trás hoje, e me orgulho em dizer que foi a melhor decisão profissional que eu tomei, não apenas por estar no ramo da educação ( algo em que eu acredito e sempre quis seguir), mas por estar diretamente ligada com a literatura.

A caminhada foi árdua em diversos momentos, mas prazerosa, por isso eu digo: faça o que você ama, sem dar créditos à dinheiro, posso garantir que você será mais feliz e realizado.




Minha colação aconteceu no último sábado, 14-04-2018, e foi um dia lindo. Engraçado comentar também que foi tão surreal, que às vezes nem parecia que era comigo. Ao entrar naquele tapete vermelho, com muitos rostos desconhecidos olhando para mim, e quase ao final reconhecer alguns que torciam por mim, eu só transbordava gratidão. Ao subir ao palco e sentar ao lado de algumas amigas queridaS ( agora amigas para a vida), eu só pensava como eu era sortuda. Ao olhar a multidão de convidados e procurar aqueles que estavam ali por mim, eu só conseguia amar ainda mais aquelas pessoas. Ao dedicar meus pensamentos à alguém que não pode estar ali comigo ( o meu melhor amigo e amor para toda vida) eu aprendi que existem pessoas cujo laços se expandem e atravessam distâncias, e eu pude sentir, mesmo de longe a torcida e amor dessa pessoa ( Te amo, muito). E por fim, ao pegar o diploma e jogar o capelo para o alto, me tornei uma Letróloga, formada e habilitada, pronta para tentar mudar o mundo ( pelo menos um pouquinho).

Os sonhos se realizam, no tempo certo, e pode acreditar, sempre acontecem de maneira mais bonita e incrível do que você imaginou!

Hoje, escrevendo essas palavras, queria voltar o tempo, viver de novo aquele momento, mas sei que agora é daqui pra frente, novos desafios, novos sonhos, novas etapas e quer saber: EU NÃO VEJO A HORA!

CRÔNICA: UM DIA (quase) PERFEITO

sexta-feira, 13 de abril de 2018



Acordei e olhei pela janela. O dia estava ensolarado e cheio de vida. O céu de um azul claro quase branco encheu meus olhos. Que dia perfeito, pensei. Meu dia perfeito? Quando foi? Tive algum? E sem permissão essas perguntas pipocavam em minha mente, me levando a você.

Nossos dias perfeitos. Às vezes tão bagunçados, desajeitados. Começos bons, finais ruins. Começos de dar raiva, fins de nos fazer sorrir. Uma palavra certa, milhares erradas. Uma palavra errada, o dia inteiro de certas. Porque aprendi que um dia perfeito, nunca é perfeito 100%.

Sorri em meio as lembranças. Sorri porque não preciso disso. E não é uma questão de comodismo, mas uma questão de ser grata, estar cheia, transbordante pelo que tem. 

Um salão. Duas cadeiras. Milhares de pessoas. Eu e você. A primeira vez que você me olhou. Como olha todos os dias.

Um quarto. Um abraço de despedida. O melhor que recebi. 

Uma sala. Um filme. A primeira vez que outros dedos se entrelaçaram aos meus. Minha cabeça em seus ombros. Uma tarde cinzenta lá fora, um mundo de cor lá dentro.

Uma árvore. Coração mais disparado do que se estivesse correndo. Eternizados, até que outra camada cubra, ou o tempo faça, partícula a partícula, aos poucos, desaparecer. 

Uma escada. A primeira vez que você fez meus pensamentos desaparecerem. E a primeira vez que amei ( mais do que todas) te ver sorrindo.

Uma tarde. Uma música. Um record. As melhores risadas.

Fim de tarde. Uma surpresa. Várias lágrimas. O universo sorrindo para mim. 

E eu poderia ficar a manhã inteira lembrando dos meus dias com você. Todos eles. Registrados na memória. Guardados. Seguros. 

Não sei se algum dia teremos um dia efetivamente perfeito, e nem sei se quero. Amo nossos dias, todos eles construídos por nossas escolhas e palavras. Nossos  dias ( quase) perfeitos.

POR LUGARES INCRÍVEIS: a montanha está à espera.

quinta-feira, 12 de abril de 2018



" - Então não foi hoje - canto-, porque ela sorriu para mim."

Página 42

Não sei se vou conseguir fazer uma resenha decente ( isso se já fiz alguma antes), mas vou tentar. Acabei de terminar esse livro e precisa vir escrever, tirar de mim um pouco do que ele deixou, porque acho que é muito e não vou conseguir dormir direito, porque tudo o que penso é nessa história, não estou brincando.

Para resumir, se você não sabe do que se trata o livro, ele vai contar a história de dois personagens que se encontram em momentos da vida que estão perdidos, sem esperança alguma, e de alguma forma, despertam um no outro a vontade de viver. O livro tem uma temática de suicídio, e além disso fala de várias outras coisas como perda, medo, morte, culpa.  É um livro carregado de questões que te apertam seu coração e te deixam sem ar em diversas vezes, mas ao mesmo tempo é um alívio. Esse não é um daqueles livros pesados por completo, em diversos momentos ele é divertido, leve e cativante, fazendo com que você viaje livremente pelas páginas e sinta junto com os personagens.


" - Acabou o inverno. Finch, você me trouxe a primavera."

Página 226

Finch e Violet são os típicos personagens que você vai levar consigo para o resto da vida. Sofri. Sorri. Sofri. E sorri de novo, e de novo com eles. Eles são tão bem construídos, e suas vidas tão cheias de conflitos e tragédias que a todo tempo eu pensava e queria abraçá-los e dizer: vai ficar tudo bem.

É complicado ler livros com essa temática, mas necessário. É doloroso e precisamos falar sobre isso, porque existem pessoas, talvez mais próximas de você do que você imagina que precisam de ajuda. 
Transtornos mentais , depressão, ansiedade, ainda são estigmas em nossa sociedade que precisamos quebrar. Precisamos reconhecer os sinais, e precisamos ajudar sem julgamentos. 

Por mais que minha mente, em meio a leitura, tenha pensado que esses personagens eram reais, e me permitiu cair várias lágrimas, elessó existem dentro das páginas de Por Lugares Incríveis e dos seus leitores. Mas, diferente deles, temos pessoas reais, andando por ai, passando ao nosso lado, só precisamos olhar.

É difícil falar sobre isso, e por mais que eu tenha lido alguns livros sobre, nunca poderei falar com propriedade do assunto, mas posso com certeza, olhar ao meu redor. Não julgue, a mesma vida que você enxerga e leva não é a mesma para essa pessoa. Só sei que ela está tentando e não pode sozinha, talvez juntos, poderemos. A montanha está à espera de todos nós. Todos.



" Rápido demais, a volta acaba, e quero ir de novo, porque é essa sensação que a vida deveria causar o tempo todo, não só por dez segundos."

Página 171