POR TODA A LUZ QUE ACENDEU

sábado, 25 de novembro de 2017




Seu doce olhar não será esquecido. Sua voz serena será eternizada em meu coração.

Seus atos, todos eles escritos e gravados em minha mente.

Ah, minha mente. Essa que não para de pensar em você.

Você, perpetuamente em mim. Cravada em quem sou. Em quem serei.

Minha saudade, antes melancólica, tem se remodelado em lembranças.

Lembro de tudo em você. Se soubesse desenhar, conseguiria colocar no papel todos seus traços.

E cores.

Quantas cores. Você era primavera. E junção de todas elas.

............................
Respire!
.............................
Sinta!
...........................
Seja!
.........................
Faça!
.........................
Ilumine!
.......................

Serei eu suficientemente capaz de iluminar os dias como você iluminava?

Duvido muito disso.

Você era o Sol. E as estrelas e toda a luz da terra.

Você era o coração de muita gente.

Era a respiração. O sentimento. Era a existência. As ações e a luz.

Meu raio de luz.

Agora, tão condigno de tudo o que você foi, está enfim no Amor.

Naquele que estava por trás de tudo aquilo que impactou.

O doce Amor. O Motivo. O Autor.

Cuide dela. grande Autor, e obrigada, infinitamente obrigada,

por escrever tão docemente a história,

a vida,

o sorriso,

a voz.

o olhar,

e a luz do meu Raio de Esperança.


Em memória à Mara Lúcia da Silva 1977-2017

"NUNCA JAMAIS" DEIXE DE LER COLLEEN HOOVER

quarta-feira, 14 de junho de 2017


"... Um amor impossível de ser contido. Um amor que nos fez enfrentar os momentos mais difíceis da nossa vida.

Nunca esqueça, Charlie.

Nunca pare."


- Nunca Jamais, Parte II


Falar de Colleen Hoveer para mim não é difícil, e quem acompanha o blog, sabe que ela é uma autora mais do que recomendada, tanto pelo meu livro favorito Um Caso Perdido, quanto por todos os outros que li e amei com quase a mesma intensidade do primeiro.

Hoje é dia de falar sobre a trilogia Nunca Jamais, que é escrita pela Colleen em parceria com a Tarryn Fisher.

Aqui no Brasil, foram publicados até o segundo livro, que serão as recomendações desse post, porque o lançamento do terceiro volume ainda não tem previsão :(

No primeiro livro, temos a introdução da história e conhecemos nossos protagonistas, que são:

MELHORES AMIGOS DESDE CRIANÇAS.

APAIXONADOS DESDE A ADOLESCÊNCIA.

DESCONHECIDOS DESDE ESSA MANHÃ.

ELE FARIA TUDO PARA SE LEMBRAR.

ELA FARIA TUDO PARA SE ESQUECER.
Nossos protagonistas acordam em uma certa manhã sem memória. Não sabem quem são. O que fazem. Seus nomes. Mas, acabam se unindo para tentar descobrir o que aconteceu, sem que ninguém perceba que estão nessa situação.


Diferente de todas as outras histórias que já li da Colleen, já podemos perceber, só com a premissa do livro, a grande jogada do mistério. O suspense foi colocado de maneira tão viciante, que você não consegue parar de ler até obter todas as repostas.

Posso garantir que a intensidade dos personagens foi mantida de maneira genial, e na verdade não consegui separar a escrita das duas autoras, porque na minha opinião, os dois livros tem cara, cheiro e forma de ser inteirinho da Colleen.

O segundo livro consegue ter ainda melhor, pois temos muitas respostas, e ao mesmo tempo acaba nos deixando com muitas perguntas! É uma história eletrizante, bem escrita e muito bem pensada, com o objetivo de fazer com que você se apegue aos personagens e também ao desenvolvimento da história.

O final é de cortar o coração e te garanto que você vai ficar revoltado pelo fato de: CADÊ A CONTINUAÇÃO, BRASIL???

Recomendo demais!!! <3

MEU CLÁSSICO FAVORITO É UMA DENÚNCIA SOCIAL!

sexta-feira, 2 de junho de 2017



"Mas havia também o abandono de qualquer carinho, a falta de todas as palavras boas."

Páginas 35/36

Capitães da Areia foi o primeiro livro clássico que me conquistou, e não foi só por sua narrativa fluída, mas também pela profundidade e intensidade da história e de seus personagens.

A narrativa gira em torno da vida de crianças sem família que viviam em um velho armazém abandonado no cais do porto da capital baiana. Os motivos que as uniram eram os mais variados: ficaram órfãs, foram abandonadas, ou fugiram dos abusos e maus tratos recebidos em casa.

O livro é um verdadeiro relato dos sentimentos das crianças abandonadas, e ao longo da história é impossível não sentir empatia pelos personagens. Jorge Amado, autor dessa obra fantástica, passou alguns dias vivendo em um armazém, o que justifica a fidelidade dos detalhes da vida dessas crianças no livro e o intenso senso realístico que a obra carrega.

Quando li Capitães da Areia, foi para o vestibular, então quando me deparei com uma história que me arrebatou e me fez chorar, realmente fiquei impressionada. Dos 10 livros que li para o vestibular, ele foi uma das obras que realmente me fez acreditar que os clássicos podem ser leituras agradáveis e de conquistar o leitor como um dos livros favoritos da vida.


“E achava que a alegria daquela liberdade era pouca para a desgraça daquela vida.”

É realmente um livro singelo, mas ao mesmo tempo forte. Considerado um romance de crítica social, pois expõe de forma clara os problemas da sociedade da época, principalmente o descaso do governo em relação as crianças de ruas, foi até, em 1937, censurado e depois queimado em Salvador. Infelizmente, esse ainda é um problema muito atual, pois ainda vemos várias infâncias roubadas espalhadas por nosso país.

Recomendo muito a leitura para todos, e se você tiver pensando que por ele ser um clássico, vai ser uma leitura difícil, peço que guarde a mochilinha do preconceito e dê uma chance para essa história fantástica!

PS: Estou relendo para a faculdade e continua incrível! <3

LIVRO E FILME: ANTES QUE EU VÁ

quinta-feira, 25 de maio de 2017


" Mas antes que comece a me acusar, permita-me fazer uma pergunta: o que fiz foi realmente tão ruim? Tão ruim que eu merecia morrer por isso? Tão ruim que eu merecia morrer por isso? Tão ruim que eu merecia morrer assim? O que fiz foi realmente tão pior do que o que todo mundo faz? É realmente muito pior do que o que você faz? Pense a respeito."

Antes que eu vá, foi uma das minha leituras do mês de Março, e foi o tipo de leitura que me marcou e que foi até uma inspiração para uma das crônicas aqui do blog. A história gira em torno da Samantha, uma menina popular que andava com as melhores meninas, frequentava as melhores festas e tinha tudo o que queria, até uma fatídica sexta-feira que acaba sendo seu último dia. Mas, ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder.

O livro tem uma narrativa muito gostosa e envolvente, o que possibilita uma leitura rápida, mas o que mais chama a atenção é a mensagem que ele carrega, que é tão forte e importante. Ele aborda diversos assuntos, desde bullying, até aquilo que você tem deixado como legado, suas ações, suas atitudes. Adorei a forma como é retratado, e esse é mais um daqueles livros que precisam ser lidos por todas as pessoas.

" Algumas coisas se tornam lindas quando você realmente olha."

A transformação da Samantha , ao longo do livro, é algo bonito de se acompanhar, a percepção que ela tem de suas ações e daquilo que precisa mudar é fantástico. Realmente é um livro que nos coloca para pensar e repensar o tipo de pessoas que estamos sendo, e quem realmente queremos ser.


Minhas expectativas para o filme estão altíssimas, e estou muito orgulhas pelas últimas adaptações de livros, tanto para séries, quanto para livros, como Os 13 porquês e agora o Antes que eu vá.

Pelo trailler, parece que vai ficar bem fiel a história contada no livro, o que é bom, porque ao assistir, consegui sentir o mesmo ambiente do livro, e torço para que a mensagem do livro seja passada de forma clara e impactante no filme. Clique AQUI para assistir o trailler do filme. :D

Comente aqui se você já leu o livro, ou se ficou interessado pelo filme. Mas recomendo que leia o livro, claro rs. Beijos <3

PS: O filme já está em cartaz ;)

CRÔNICA: E se só existir o hoje?

quinta-feira, 11 de maio de 2017



E se você não acordar amanhã? E se você parar de respirar hoje? E se hoje for seu último dia, seu último sorriso, o último abraço? E se? E se? E se? (...)

Começamos um novo dia, e não sabemos o que esperar dele, e diversas vezes passamos por esses dias como água que flui de uma cachoeira. Tão rápida. Tão natural. Tão normal. Não sabemos quando será, ou se até mesmo será alguma coisa, simplesmente passamos por eles.

O inesperado aparece todas as manhãs para nós, e praticamente ignoramos o fato de que tudo pode acontecer. A vida é um fio tão frágil, e definitivamente você não sabe se ele será cortado. Talvez você seja um sortudo, e seu fio escape pelas ruas do destino,e você terá mil amanhãs, ou você pode ser o fio que será cortado logo,e tudo que restará é o hoje. O agora.

Não é mais fácil então, viver os hojes como se fosse o último? Porque é tão desesperador pensar que talvez seu último dia seja vivido de forma fútil, tosco e sem valor. Pare e pense. O hoje importa sim. O futuro nem sempre é algo certo, mas o hoje é tudo o que temos. Toda a nossa certeza. O que você tem feito com o seu?

DISCUSSÃO: SUICÍDIO ( você realmente se importa?)

terça-feira, 14 de março de 2017


"Quando você estraga parte da vida de alguém, você estraga a vida toda dessa pessoa."

- Os 13 Porquês, Jay Asher

Pensei em fazer uma resenha para indicar esse livro, porque ele é um daqueles livros que você precisa ler, mas eu senti tantas coisas durante a leitura, e ele aborda tantos assuntos, que achei que ele precisava de um formato diferente.

Esse livro fala sobre suicídio. Uma garota se mata e grava fitas, que no seu conteúdo, têm 13 motivos para ela ter feito isso ( esses 13 motivos, envolvem pessoas). E o livro se desenvolve com um garoto chamado Clay, que recebe essas fitas, e por meio dele, vamos descobrindo todo o restante da história.

Indico o livro, e espero que leiam, porque hoje não vou falar sobre a estrutura do livro, escrita ou os personagens. porque quero falar do assunto central dele que envolve todos nós.

Será que temos consciência que nossas atitudes atingem diretamente a vida de outras pessoas? Será que percebemos que uma palavra pode arruinar o dia de alguém, ou no pior caso a vida dela?

E foi exatamente essas perguntas que fiz para mim durante a leitura, porque muitas vezes não paramos para analisar nossas palavras e atitudes.

Falar sobre suicídio é muito pesado, quase pouco se discute disso, mas tem uma multidão de pessoas que estão deprimidas por ai, pessoas que na maioria dos dias, somos eu e você. Ficamos triste, por nada, e muitas vezes por tudo. E quase sempre, ninguém percebe.

Você já pensou nas pessoas que passou por você e que estavam invisíveis aos seus olhos? Invisíveis, porque você estava ocupado demais, distraído demais, insensível demais.

Não quero assustar ninguém, e acusar ninguém, e talvez essas pessoas que passaram por você estejam bem, mas e se não estivessem? E se o nosso descaso levasse ao fim da vida de alguém? Pesado né? Mas real.

Eu li o livro e me perguntei isso: eu deixei alguma Hanna passar? ( Hanna, é a personagem que se mata em Os 13 Porquês)

Nunca tive alguém perto de mim que realmente tenha se suicidado, mas e as pessoas que estavam deprimidas, tristes, ou que tiveram esses pensamentos? Eu estava ali por elas? Eu me importei?

E sabe qual foi a resposta? Não sei. Não sei, porque não me lembro das pessoas deprimidas que passaram por mim. Eu estava muito ocupada, é muita coisa para resolver e isso é tão horrível de assumir. Você se lembra? Você ajudou? Você se importou?

Não sei se esse post vai fazer diferença na vida de alguém, mas torço para isso. E meu foco, é que se você resolveu chegar até o final,  dizer para você se importar mais. Tomar cuidado com suas atitudes e perceber os sinais. Seja a melhor pessoa que puder para os outros, porque uma faísca é um início.

" Ninguém sabe ao certo o impacto que tem na vida dos outros. Muitas vezes não temos noção. Mas forçamos a barra do mesmo jeito."

- Os 13 Porquês, Jay Asher

Crônica: UM EGOÍSTA IMBECIL

quarta-feira, 8 de março de 2017



Por que temos dificuldade de enxergar o que está a nossa frente? Por que o que temos nunca é o suficiente?

Olhe ao seu redor. Perceba todos os laços que você conquistou. As pessoas que você ama, e que amam você. Sim, essas pessoas, que dariam tudo por você. Mas, você é egoísta, e não liga para ninguém que não seja você.

Você fere as pessoas. Quebra o coração delas, sem nem ao menos se dar conta da destruição que causará. Você faz coisas. Você fala. E no final, não está nem ai para nada.

Egoísta. Egoísta. Egoísta. Nada mais que isso. Você sente que é o dono do mundo não é mesmo? Sente que nada nem ninguém irá te atingir, e posso te garantir que não irá mesmo, porque no final de tudo, você estará sozinho. Vai perder tudo que lutou tanto para conquistar, tudo porque é um egoísta imbecil.

Pare agora. Pare. Seja agradecido pelo que tem, porque algumas coisas nós sabemos que são suficientes. Lute por um emprego melhor. Lute pelo estudo. Lute pela casa, ou por qualquer outro sonho. Mas, por favor, não se esqueça das pessoas. Dos relacionamentos. Dos laços. Não seja egoísta com eles, eles são tudo o que você tem. Não espere ser tarde demais, porque se for. Se for. Você estará sozinho, e ninguém terá pena de você.

É difícil demais para enxergar que o que você tem já é incrível?